Pesquisar

Encontro Geral (28/10)

Pauta


Objetivo Geral: Discutir a concepção de projetos do Programa e subsidiar os profissionais para desenvolvimento da escrita dos projetos e planos de ação.




Avaliação do Encontro Público: 

Zona Sul:

Comentários dos educadores: 

  • A avaliação do encontro foi positiva, apesar do transtorno na chegada dos jovens e dos atrasos;
  • As produções dos jovens pareciam refletir temas e linguagens do seu interesse;
  • A mudança no cronograma desorganizou um pouco o planejamento dos educadores e dos jovens. Essa mudança impactou especialmente os grupos que precisavam ensaiar e  a divulgação do Encontro para os parceiros;
  •  Os jovens gostaram muito de apresentar suas produções;
  • Apesar da educadora ser dançarina, ela não trabalhou essa linguagem com os jovens. A apresentação de dança foi iniciativa dos joven;
  • Os jovens gostaram muito de encontrar os outros jovens, esse foi um ponto forte do Encontro Público pois os jovens se deram conta de que o Programa está acontecendo em vários locais da cidade;
  • Produtos: apresentação de dança, apresentação de hip hop, teatro, documentário, exposição de móveis de pneus e fotos;
  • Seria ainda melhor se fosse possível encontrar com os jovens da zona leste;
  • Os jovens ficaram um pouco frustrados porque somente um dos dois vídeos foi exibido, devido à porblemas técnicos, e não havia espaço físico para expor as produções;
  • Os jovens ficaram muito entusiasmados em estar no palco, foi emocionante. Foi também uma oportunidade para que os jovens lidassem com apreciações críticas das suas apresentações;
  • É importante trabalhar com os jovens a particpação no encontro como um todo, e não apenas na sua apresentação. O educador deve trabalhar a turma neste sentido.
Zona Leste:

Comentários dos educadores:

  • Foi um ganho o Encontro Público  ter sido antecedido pelo Sarau, pois os jovens já estavam mobilizados;
  • Os jovens participaram da organização do Encontro;
  • Produtos apresentados: exposição de textos (poesia, crônica, conto), apresentações de dança(salão, cigana,black) apresentação de rap, teatro, “bancas de experimentação;.
  • Houve participação de outros jovens da comunidade e de artistas;
  • Os jovens gostaram muito do Encontro, muitos já se conheciam e isto facilitou o entrosamento;
  • Rosana cuidou muito bem da organização de todo encontro;
  • Os jovens não conhecem tanto as pessoas que trabalham no CENPEC e comparado ao ano passado, os jovens estavam mais à vontade porque foi um evento menos institucionalizado, em certo sentido;
  • Foi interessante inovar no formato do Encontro e deu muito certo, tudo foi montado no SEPAS. Também por isso os jovens ficaram mais “soltos”. As pessoas da rua conseguiam ver de fora e entravam pra assistir. Isso é muito interessante para aumentar a visibilidade do trabalho organização;
  • O atraso é um ponto crítico que precisamos trabalhar especialmente porque estávamos querendo inovar num formato menos formal. Os atrasos comprometeram a socialização das produções;
  • As turmas novas só assistiram ao Encontro, mas gostaram muito.
  •  Os jovens que frequentam a igreja não puderam estar no Encontro pois aconteceu no sábado.

Considerações finais


As apresentações artísticas (teatro, dança, músicas) são interessantes, mas não são a única forma de socializar o que foi experimentado e produzido ao longo do percusso formativo. Os diferentes temas e estratégias trabalhadas, como por exemplo as cartografias da cidade, da juventude, da comunidade, os diários de bordo, muitas vezes não são apresentadas no   Encontro Público por parecerem "produções chatas". É importante ampliarmos a visão sobre as produções, senão corremos o risco de excluir da programação do Encontro Público justamente o que mais foi significado ao longo das trajetórias. 
Ainda em relação à produção, é importante  observar quanto do que é apresentado no Encontro Público  dialoga com o trabalho que vem sendo realizado na formação desenvolvidas pelos educadores,  sem desmerecer aquilo que os jovens trazem espontaneamente. Também é importante ter um olhar crítico sobre essa produção para ajudar o jovem a aprimorar a qualidade da sua produção e expressão.


Apresentação da concepção de projeto do Programa:

Projetos Jovens e sua relevância para formação dos jovens 
O Projeto é uma estratégia privilegiada do percurso formativo do PJU, que reconhece e amplia as possibilidades da juventude participar da vida pública e dialogar com o mundo do trabalho.  Os Projetos Jovens são realizados coletivamente a partir de uma Ideia Jovem  e culminam em ações de intervenção na comunidade.
Ao realizar um projeto o jovem “põe em prática” as experiências vivenciadas no Programa e é estimulado a sair do lugar de participante para o de proponente de suas ações; aprimorando desta forma a sua capacidade de trabalhar em grupo, de planejar e de concretizar ideias.

Projetos e sua relação com a vida




Roteiro de Projeto e Plano de ação





Critérios para validação dos Projetos Jovens



Mostra dos produtos dos projetos jovens da 6ª edição











Análise dos projetos jovens da 6ª edição de SP e dos e planos de ação 1ª edição de Pouso Alegre

Destaques das considerações dos grupos:
  • Dialogar com os princípios  valores e atividades desenvolvidas no Programa;
  • O objetivo não pode ser muito amplo, no caso do plano de ação;
  • Justificativa: observar se há referência ao contexto local;
  • Plano de trabalho precisa destacar o público alvo;
  • Cuidar para não misturar o objetivo com o histórico;
  • Distinguir objetivos específicos dos gerais
  • Orçamento precisa ser bem detalhado;
  • Mesmo com pouco tempo, é importante questionar os projetos mais “clichês” ou assistencialistas que surgem como primeira ideia dos jovens;
  • Carta de parceria (é interessante o projeto contemplar documentos de parceiros, sobretudo quando implica na intervenção em espaços de outras instituições);
  • É mais fácil comunicar uma ideia simples;
  • É preciso avaliar se o que o grupo domina aquilo que ele está propondo, nessa etapa o papel do assessor não seria ensinar uma linguagem;
  • O educador deve ajudar o grupo a distinguir as partes dos roteiros, e corrigir os erros de escrita;
  • è interessante o educador  trazer para os jovens referências de textos de projetos e planos de ação;
  • Como lidar com erros de português? É preciso ajudar os jovens a aprimorar a expressão escrita, buscando estratégias construtivas. Aproveitar a escrita coletiva como um espaço em que os próprios jovens podem se corrigir.
  • A escrita do projeto é vivida com dificuldade por alguns jovens, porque o texto do projeto é muito técnico. Entretanto, as habilidades desenvolvidas nessa etapa são muito importantes para a vida profissional e formação acadêmica.






Cronograma dos projetos e planos de ação

08/11: Data limite para entrega dos projetos:
21/11: Banca Zona Leste
22/11: Banca Zona Sul
27/11 - 13/12: Reunião com assessorias de Projeto/ Inicio da implementação dos Projetos






                                                         





Nenhum comentário:

Postar um comentário